sábado, 23 de outubro de 2010

Enquanto isso, no reino da Tucanolândia...


Publicado em 02/05/2010

Tocando nos bicos como assunto
Antonio Brás Constante
 
Pode parecer um assunto banal, mas o bico acompanha o homem desde os seus primeiros dias de vida, intimamente ligado às pessoas e literalmente na boca do povo. O bico pode ser considerado uma expressão multifuncional, pois é associado a várias situações e está inserido no contexto social da humanidade.
Quando a situação aperta e não se consegue emprego, o que se faz? Bicos para sobreviver. Quando se quer mandar tudo para os ares, logo se pensa em “dar um bico” nos problemas. Mesmo no seio de nosso lar (frase bem sugestiva), temos vários bicos espalhados pela casa, como por exemplo, os bicos do fogão, dos sapatos, de luz, etc.
Falando em seios, o bico também está inserido no imaginário erótico do público adulto, onde musas seminuas mexem com nossa volúpia, expondo as partes de seus corpos perfeitos e entre eles, não preciso dizer qual é um dos mais procurados pelos olhos masculinos (e de algumas mulheres também).
Os reinos animal, vegetal e mineral, estão repletos de bicos, espalhados em várias formas e cores. Também não podemos nos esquecer das doenças que trazem consigo o simbolismo do bico, como, por exemplo, o bico de papagaio, entre outras.
Nas expressões populares o bico ganha destaque. Quem já não ouviu falar que aquela beldade não é para o seu bico.
Muitos segredos são guardados, porque fulano foi obrigado a fechar o bico. Quem abre o bico pode se dar muito mal, então o melhor é ficar de bico calado.
Algumas pessoas ficam de bico quando estão magoadas, outras preferem molhar o bico e acabam se embebedando, mas se você fizer isto, cuidado! Pois, nestes casos sempre algum policial pode aparecer e acabar ficando no seu bico.
Mas não quero que pensem que estou aqui tentando levar os leitores no bico, falando apenas de assuntos compostos por essa palavra. Posso escrever sobre coisas mais importantes, como uma guerra, catástrofes naturais, as misérias do mundo, política ou mesmo sobre o resultado futebolístico do gauchão. Porém, é melhor não falar sobre nada disso. Afinal, em alguns assuntos não se deve meter o bico. 

Antonio Brás Constante se define como um eterno aprendiz de escritor, amigo e amante da musa inspiração. Lançou recentemente o livro: “Hoje é seu aniversário – PREPARE-SE”, disponível pela editora AGE (www.editoraage.com.br).


São Paulo, reino dos bicos grandes
São Paulo nós levamos no bico desde 1994 e acabamos de vencer no primeiro turno. É nosso mais fiel eleitorado. Para esse povo privatizamos quase tudo, desde distribuidoras de energia, de telecomunicações, bancos e estradas, que passaram a ser caminhos por onde ninguém passa sem pagar. Como os pedágios de Tróia no caminho para o Mar Negro, dos nabateus no caminho de Petra, dos tuaregues no Saara, dos senhores medievais europeus, tudo com muito lastro histórico, pois somos bastante cultos. Só não privatizamos ainda a Sabesp e a Cesp, mas não foi por falta de bico! E agora vamos dar de bico na bola do jogo privatizando o que falta para o povo de São Paulo e concretizando o sonho de Mário Covas. Governo tucano quer mostrar eficiência e competência, não pode ser bico mole na alienação das empresas estatais lucrativas. Não vai sobrar nenhuma empresa estatal. Além do que vamos privatizar e terceirizar a saúde e a educação, porque o estado não pode ser forte, tem que ser mínimo. Tem que dar lucro aos verdadeiros empreendedores da iniciativa privada, que oferecerão a custo mais baixo os serviços de saúde educação transporte moradia dentro da economia de mercado.
Somos gratos aos nossos eleitores de São Paulo, sempre tão generosos.
Vivam os nossos eleitores de São Paulo!
Vivam!
Melhor esse bico do que bico de papagaio, ai ai dodói
Bico fechado. Fale, mas não vá abrir o bico, hein?
Eu quero fazer biquinho mas meu bico é muito grande
quaiano o bico
 Meu bico doce, bom de bico,
São Paulo já tá no bico!
Tô numa sinuca de bico, tô no bico do corvo
de bico caído
Preciso fazer um bico até a próxima eleição
Eu vou também pegar no bico da chaleira
porque desta vez ainda não é para o meu bico

Um comentário:

  1. Adorei! A montagem ficou muito legal! Outra para "bico": gestão tucana não é emprego, é só bico!

    ResponderExcluir